sexta-feira, 27 de junho de 2008

O poder do corte de cabelo

Hoje eu descobri como alguns poucos tufos de cabelo podem modificar uma pessoa.
Nunca tinha percebido como cortar o cabelo faz diferença. Eu me sinto mais eu agora; me olho no espelho e me reconheço, coisa que não acontecia antes.
O cabelo é uma coisa que eu não me preocupo muito,mas, depois de hoje, darei mais atenção a ele. Afinal, convivemos diariamente com ele. São muitas festas, alegrias, tristezas nas quais ele nos acompanha;sempre ali,ao nosso lado,e nem damos valor. Até ele ir embora,e nunca mais o vermos - literalmente - demanda tempo. Em alguns casos, anos. Ele é parte de nós e quando o cortamos, normalmente sentimos uma tristeza, uma falta.
Acho que vou cuidar dele melhor daqui por diante!

quinta-feira, 26 de junho de 2008

Mais do que amigas, irmãs de coração

A amizade não é feita de palavras, promessas; é feita de ações.
A amizade não é feita de encontros diários; mas de encontros que duram pra sempre nos corações.
A amizade não é feita só de concentimentos; é feita de broncas e brigas também.
Os laços de irmandade não precisam, necessariamente, serem feitos pela família e pelo sangue; eles podem, sim, terem como base uma verdadeira amizade.
Parabéns maninha!
Que Deus esteja sempre com você!

quarta-feira, 25 de junho de 2008

O poder das palavras - Parte 1


Depois de tantas noites sem dormir,muitas lágrimas derramadas, olhos inchados e inúmeras
olheiras, decidi optar por uma forma menos sofrida de descarregar as minhas emoções: a escrita.
Pode não parecer, mas esse é um método extremamente eficaz de despejar as energias que estão presas em nós. Conheçem aquele trecho de um poema de Fernando Pessoa:"O poeta é um fingidor,finge tão completamente, que chega a fingir que é dor,a dor que deveras sente"? Pois comigo ela é um pouco diferente. Primeiro,porque não sou poeta; segundo, porque não finjo a dor,mas sim a alegria; essa alegria que é inexistente na minha realidade; esse sentimento que não é, e nunca foi, conhecido por meu ser.
Desde minha adolescencia eu vivo assim; para, por e pela escrita. Ela é minha profissão,minha
companheira, minha vida e meu combustível. Graças a ela ainda estou aqui. E graças a ela conheci a pessoa que estava predestinada a mudar minha vida.


CONTINUA......
Escrito por Michelle Rafael
Ontem foi um dia especial. Dia de festa. Aniversário da Ju. Mas não é sobre isso que eu quero comentar.
Ontem foi um dia ótimo não só para comemorar, como para observar as pessoas. Fiquei com duas amigas um pouco distante do "centro" da festa. Assim, pude observar melhor certos tipos muito comuns.
As pessoas podiam ser divididas, naquele momento, e ao meu ver, da seguinte maneira:
  • As que são estrelas, mas parecem ser normais
  • As que são normais, mas parecem ser estrelas
O primeiro grupo era o mais restrito no ambiente. Presente nele estavam a dona da festa(Ju), sua mãe (D. Nadja) e algumas de suas amigas, que na onda , acabaram ficando "famosas" pelos orkuts da vida. Além, é claro, dos tios e do primo, Vitor, nossos companheiros de mesa e com quem ficamos conversando a maior parte do tempo.
O segundo era o mais presente na festa. Não digo que todos os não citados aqui sejam parte desse grupo. Magina. Mas esse estava bem mais cheio. Não entendam o "parecem ser estrelas" de uma forma errada. Eles são, simplesmente, bons atores; atores, no fato de saberem chamar bem atenção quando desejam, mesmo das formas mais escrabosas possiveis.
Acho que divido a humanidade mais ou menos como divido essa festa. Lógico que tem as pessoas que são normais, e parecem normais; e as que são estrelas, e parecem estrelas. Mas estes, são subdivisões daqueles.
Aquela festa era a reunião dos tipos da sociedade moderna. repito, ao meu ver.Afinal, esse blog é meu! =]

PS: Se alguém se identificar com o post acima, não é culpa minha, ok?



POST DEDICADO AS MINHAS AMIGAS BRU E VIH, PELAS NOSSAS CONVERSAS MARAVILHOSAS E NOSSOS ÓTIMOS COMENTÁRIOS, ANTES,DURANTE E APÓS A FESTA! OBRIGADA POR TUDO MENINAS!

terça-feira, 24 de junho de 2008


"A vida é composta de prazeres pequenos. A felicidade é composta desses pequenos sucessos. O grande vêm muito raramente. E se você não colecionar todos estes pequenos sucessos, o grande realmente não significará qualquer coisa." (Norman Lear)

segunda-feira, 23 de junho de 2008

Hoje vivi a estranha sensação das palavras presas na garganta. Sabe aquelas palavras que você ensaia por muito tempo, imagina o que dizer, reve no intimo da sua mente todos os dias, para quando for o momento você saber dize-las de cor? Pois é, foram essas que me ficaram presas. Eram minhas companheiras quase que diárias; assim o foram por um bom tempo. Hoje,dizeram adeus. Ou quase. Não sairam bem como no ensaio; pararam no meio da garganta. Poucas sairam e as que o fizeram, não foram minhas. Soaram falsas. Sairam com uma traquilidade e naturalidade inexistente dentro de mim.
O texto ensaiado pelo ator interior foi quebrado no ensaio; a apresentação do espetáculo foi fraca, sem verdade, sem ao menos um pingo de solidariedade, esta que era o ponto forte do texto ensaiado.
Assim o foi, e já foi. Da próxima, ensaiarei mais para, quem sabe, o ator ser aplaudido ao final do espetáculo!

domingo, 22 de junho de 2008

RECOMEÇAR
Aline Barros


Pai, tá difícil manter o caminho
Tenho andado em meio a espinhos
Nem sempre é tão fácil acertar

Pai, emoções descalçam os meus pés
Me roubando em meio a cordéis
Que me enlaçam em minhas fraquezas

Pai, eu nem sei o que te falar
Mas, eu quero recomeçar
Me ajuda nesse instante

Preciso da tua mão
Vem me levantar
Faz-me teu servo Senhor
Me livra do mal
Quero sentir o teu sangue curar-me
Agora meu Senhor, vem restaurar-me