terça-feira, 24 de novembro de 2009

Sou um milagre - Padre Marcelo Rossi

Nunca houve noite que pudesse impedir
O nascer do sol e a esperança
E não há problema que possa impedir
As mãos de Jesus prá me ajudar

Haverá um milagre dentro de mim
Vem descendo um rio prá me dar a vida
Este rio que emana lá da cruz, do lado de Jesus

Aquilo que parecia impossível
Aquilo que parecia não ter saída
Aquilo que parecia ser minha morte
Mas Jesus mudou minha sorte
Sou um milagre e estou aqui

Usa-me, sou o teu milagre
Usa-me, eu quero te servir
Usa-me, sou a tua imagem
Usa-me, ó filho de Davi

Aquilo que parecia impossível
Aquilo que parecia não ter saída
Aquilo que parecia ser minha morte
Mas Jesus mudou minha sorte
Sou um milagre, e estou aqui

quarta-feira, 18 de novembro de 2009

Ontem foi um dia de reflexão. Durante uma conversa, muitas questões surgiram e ficaram na mente, montando um debate lá dentro. Com elas, acabei refletindo sobre diversas coisas, especialmente sobre o que ocorreu esse ano.
Se eu tivesse que defini-lo numa única palavra, com certeza seria “crescimento”. Pode parecer que não, mas amadureci bastante e aprendi coisas as quais eu devia ter aprendido há tempos.
Esse foi um ano muito importante para mim. Eu já sabia que seria, logo que ele começou, por causa da faculdade. Último ano, estágios, TCC, formatura...tudo isso significa muito na vida pessoal e profissional de qualquer pessoa. Mas eu não esperava que tantas coisas mudariam.
Acredito que tudo começou com o meu emprego. Ter que passar o dia todo fora de casa, trabalhando, tendo que cumprir meus horários se que ninguém falasse, tudo isso já começou a mexer comigo. Somado a isso veio minha pequena “independência financeira”. Claro, eu não me sustento com o salário que ganho,mas,com certeza, eu fui obrigada a rever alguns conceitos e a ter mais responsabilidade para gastá-lo da forma correta e me organizar para conseguir pagar as contas que EU fazia, coisa que nunca ocorreu com tanta força. Não ter que depender de mãe ou avó para sair, comprar uma roupa, ou qualquer coisa assim, é um salto e tanto!
Outra coisa que afetou bastante, na maioria das vezes, positivamente, esse meu “processo de mudança”, foram as amizades. Algumas apareceram, outras se afastaram, mais algumas se fortaleceram. Com todas elas eu cresci. Até com as que se afastaram, porque com essas eu aprendi a não mais ser cega, a não mais fazer tudo e confiar cegamente. Com as que nasceram agora, eu vi o que é uma conversa sincera, o que é poder realmente contar para qualquer hora e tive a certeza de que amizade é mais do que confiar em alguém, é entender e aceitar. Com as que se fortaleceram, pode ser que, em alguns momentos, elas não parecessem assim, mais fortes. Mas,para mim, esse é o sentimento. A prova é que, mesmo com os obstáculos, com as “pedras no caminho” elas continuam ali, presentes, dividindo momentos bons e ruins. Com todos eles, aproveitei todos os momentos, aprendi com choros e sorrisos, brigas e comemorações, conversas de dia inteiro e de minutos, olhares e palavras, sentimentos, abraços...com o estar, seja pessoalmente ou virtualmente. Poder tê-los, saber que existem, é a melhor coisa que existe.
A minha relação com todos – e, consequentemente, comigo mesma – mudou. Os que me conhecem a mais tempo percebem isso, especialmente minha família, que, mesmo não querendo, com certeza, foi, é, e sempre será a mais afetada por tudo isso. Os sinais são extremamente visíveis e,claro, eu os observo e aprendo com eles, também. Aprendo a equilibrar, a ponderar, a conversar, a compensar. A SER família. Esse é um aprendizado muito mais difícil do que eu poderia supor. É sofrido,também, mas é especialmente gratificante quando você percebe, mesmo que por um momento, acertou em algo, mesmo sabendo que, provavelmente, você errará num próximo passo. Como diria a música do grupo Anjos de Resgate: acredita, nos momentos mais difíceis da vida, eles sempre estarão por perto, porque só sabem te amar.
O meu processo ainda está no início, então, tudo é mais complicado agora, tanto para mim, quanto para quem está a minha volta. Paciência. Esse é um dom que eu tenho procurado exercer, nem sempre com muito sucesso. Tudo tem seu tempo. TUDO.
Hoje eu ainda estou, um pouco, “anestesiada” pelo remédio, o que, ontem, deixou-me mais sensível do que o natural, levando a todas essas reflexões, a todo esse turbilhão de emoções que, em quase todos os momentos, é tão forte que eu não consigo conter. O ano está acabando e um novo ciclo começa. Esse, de agora, foi o início de um processo de transformação que ainda perdurará por algum tempo. Eu acredito que a pior fase está passando, e isso me dá um alívio e um orgulho tremendo. Que venha o novo ciclo!

sexta-feira, 13 de novembro de 2009

Meus trigêmeos!


Apresento-lhes meus trigêmeos - ou pelo menos dois deles, pois um foi separado dos irmãos quase que logo após o nascimento. Eles passaram poucas horas juntos: tiveram que fazer uma cirugia de emergencia e, logo após, foram separados, feliz ou infelizmente.


Acho que esses são os únicos filhos que eu senti uma felicidade enorme ao entregá-los para adoção. O sentimento de alívio e leveza é enorme e indiscritível.

Para quem ainda não entendeu o trocadilho, não, eu não tive três filhos. Ou quase. Esse é o meu TCC, impresso e encadernado, prontinho para ser entregue. Na verdade, já foi. Ontem. Ainda bem.

Os que acompanharam esse processo - ou pelo menos parte dele, normalmente, a pior, a fase final - sabem o quão dificil foi. Minhas crises, meus estresses. Minhas falas repentinas e repedidas a respeito do duplo, da Heloisa e de outras coisas assim. Das minhas "brigas" com a minha orientadora. Meus debates sem pé nem cabeça.

Mas,também, presenciaram os momentos de alegria. As descobertas, a felicidade em perceber uma ligação nova. A felicidade em terminar uma análise, um capítulo. O meu encontro com a Heloisa e, depois, minhas conversas com ela por e-mail. Os meus poucos elogios recebidos, mas que valeram demais. E,claro,mais do que tudo, a entrega do TCC.

A esses, que viveram meus momentos de alegria e tristeza, meu muitissimo obrigada! Eu sei que nomear pode ser uma armadilha criada por mim para mim, mas eu tentarei. Perdoem-me se faltar alguém mas, alguns, precisam ser mencionados, por vários motivos e como, no TCC, os agradecimentos devem ser curtos e discretos, não foi possivel conter o nome de todos. Então,sintam aqui a minha homenagem:

Às minhas queridas companheiras virtuais, Amanda e Normanda, pelas diversas e longas conversas sobre Bones e sobre vários outros assunto. Pelas levantadas de humor nos dias das minhas crises e por sempre terem uma palavra para ajudar. Eu realmente não sei o que seria das minhas crises sem as nossas conversas!

Às minhas sempre companheiras Giselle e Cibele que, por mais que eu tenha ficado mais distante esse ano - e aqui vai, também, meu pedido de desculpas às vocês, especialmente pelas "mancadas" - estavam sempre lá, torcendo por mim, esperando com um sorriso, um abraço e uma palavra de apoio. Obrigada por continuarem acreditando em mim e na nossa amizade.

Aos meus colegas da faculdade que, de uma forma ou de outra, ajudaram-me muito, no TCC ou na vida, a crescer, a evoluir, a amadurecer. Meu muito obrigada especialmente a Rafael, Iasmin, Valéria e Thamires.

À minha queridissima irmã Amanda pela atenção e pelo apoio diário. Pelas "saídas" salvadores. Pelas conversas enorrrmmmeesss sobre tudo e as quais semprrreeee me animavam. Pelo entendimento e o carinho que sempre dedicou a mim!

À minha companheira de todos os dias, de todas as conversas, de todas as saídas. A que mais me entede, que mais divide os problemas, que sempre me escuta. Que nos meus momentos de super crise, largou tudo para conversar comigo. Que mesmo cheia de problemas, cheia de confusões sempre esteve ali, pronta para me ouvir e,acima de tudo, me entender, compreender e aceitar. Como ela diz, a nossa amizade é baseada na aceitação. Cris, como eu já disse diversas vezes, com você eu me sinto acompanhada, não me sinto sozinha nos meus problemas. Fora que eu sempre vejo como os meus problemas são pequeninos. Muitooo obrigada por tudo, especialmente pela sua amizade!

Aos meus amigos Fellipy e Nath que, mesmo distantes, são importantes para mim só pelo simples fato de existirem e serem meus amigos. E continuarem lá, mesmo depois de tantos anos e tantas distancias, idas e vindas. Esses são dois que mesmo que eu não os veja por anos,vai ser como se eu os visse todos dias.

Por fim,mas não menos importante,aos que também estão no meu TCC: à Deus, à minha família e a três pessoas que ajudaram muito na minha vida academica - não só,claro!: Andrezza, Silvia e Anna Rita, minha queridissima orientadora.

Obrigada a todos!

segunda-feira, 2 de novembro de 2009

Hoje eu estou me sentindo péssima por dentro. Numa divisão estranha, que nem eu mesma sei definir. Ao mesmo tempo que eu estou super contente, depois de uma bela caminhada na praia e um terapia-conversa maravilhosa com a Cris, eu estou super chocada,triste e desapontada comigo mesma.
Como eu consigo magoar uma pessoa que eu gosto tante,sem ao menos saber que estou fazendo? Engraçado que,por mais que eu já tivesse noção do quanto ela é importante para mim, o quanto a sua amizade muda a minha vida, hoje eu percebi que eu me importo muito mais do que eu imaginava com ela. Ao ponto de chorar, de, até agora, ter lágrimas nos olhos, no momento em que percebi o que de fato havia ocorrido.
Acho que eu me sinto mais idiota por saber que o que ocorreu não era, de maneira nenhuma, o que eu queria que ocorresse. Eu NUNCA faria com ela, o que eu tanto reclamo que fazem comigo. Para mim,tudo tem seu tempo. Ultimamente,devido a correria, eu aprendi a não desperdiçar um segundo sequer e descobri que, mesmo correndo, é possível fazer várias coisas em um mesmo dia.
Enfim,acho que esse sentimento de idiotice,de revolta comigo mesma, vai durar um bom tempo. Mas serviu para eu aprender a tomar mais cuidado com as minhas ações e palavras.
Sem citar nomes, quem está envolvido nessa situação sabe, e sabe que o meu pedido de desculpas é mais do que sincero. Perdão!

domingo, 1 de novembro de 2009

Today's fortune

O meu post anterior fez sucesso. E eu amei todos os comentários. Chorei horrores com todos - já disse que estou sensivel essa semana! Mais do que o normal.
Eu sempre esqueço de ler a "sorte do dia" do orkut. Mas hoje ela me chamou a atenção e me fez refletir, mais um vez, sobre a amizade. Ela era a seguinte:

Today's fortune: A friend is one who knows you and loves you just the same (Um amigo é que te conhece e ama mesmo assim)

Essa frase me fez lembrar do real sentido da amizade e de como, nesse ano, especialmente, eu pude compravar que é exatamente assim que acontece.
Os meus amigos de verdade, aqueles que estão ali,a qualquer hora, que você grita e eles te escutam, até mesmo por pensamento, esses me conhecem de frente para trás e, mesmo sabendo como sou, com minhas doideiras e defeitos, estão ali me apoiando, ajudando-me a seguir em frente. Eu sou tão grata a todos eles, pelas maravilhas que fizeram por mim. Podem não perceber, ou acreditar, mas todos eles são muito importantes para mim. Muitos fizeram uma diferença enorme na minha vida esse ano. Mudaram-a para muitoooo melhor! Alguns sabem, outros nem tanto, mas todos me ajudaram demais esse ano,mais do que nunca. Seja por ações, palavras, gestos, sentimentos...
Mais um vez, muito obrigada a todos vocês!